Postagem em destaque

O XIII Encontro de Pesquisa em Educação FaE/UFMG ocorrerá entre os dias 16 a 20/10 na FaE/UFMG. Convidamos a todos para participa...

UM OLHAR QUILOMBOLA PARA A EDUCAÇÃO ESCOLAR

A pesquisadora e quilombola Cláudia Marques abordou a influencia de seu povo em sua formação acadêmica na palestra: “Educação escolar quilombola: a encruzilhada entre as memórias de uma infância quilombola e a formação acadêmica”. A pesquisadora nasceu na cidade de Janaúba e é descendente do povo gurutubano, quilombola do norte de Minas Gerais. Marques contou o quanto sua origem formou seu olhar de pesquisadora, particularmente voltado para as crianças negras, e sua preocupação com os desafios da Educação Escolar Quilombola como prática docente, apresentando o percurso teórico-metodológico do seu trabalho.   

Cláudia Marques com a Tia Teu, a primeira presidenta da Associação Quilombola que iniciou o resgate do Batuque com crianças e grupos de mulheres da Vila Nova dos Poções. Ambas estão usando a roupa típica do batuque. 
Cláudia Marques possui graduação em Normal Superior nas Faculdades Pedro Leopoldo. É professora da Rede Municipal de Educação da Prefeitura de Pedro Leopoldo (MG) e mestre pelo Programa de pós-graduação: conhecimento e inclusão social em educação na Fae/UFMG com o tema: Cultura Afro-brasileira e Educação: significados de ser criança negra e congadeira no município de Pedro Leopoldo em Minas Gerais. Além disso, é bolsista internacional da Fundação Ford, membro do Programa Ações Afirmativas na UFMG e integrante do GEIQ/UFMG - Grupo de Estudos Interdisciplinar Quilombola.

Nos últimos dois anos, Marques foi vencedora de prêmios de destaque no campo da educação e das relações étnico raciais como: Prêmio Mulheres Negras Contam sua Historia (Secretaria de Políticas para Mulheres e a SEPPIR) em 2013 e os prêmios Educa Minas (Instituto Nandyala Livros e Ministério Publico de Minas Gerais) e Mulher Negra de destaque de Minas Gerais (Coordenadoria de Igualdade Racial da Secretaria Municipal de Desenvolvimento de Montes Claros) em 2014.

A palestra com Claudia Marques foi realizada pelo Programa Ações Afirmativas na UFMG, por meio do projeto de extensão “Construindo Espaços de Diálogos e Reflexão sobre Metodologia de Pesquisa sobre Relações Raciais e Ações Afirmativas” – CP/UFMG no dia 16 de junho, na sala de Reuniões do Centro Pedagógico da UFMG

Da esquerda para direita: Rodrigo (Pró-Reitor PRAE), prof. Elânia Oliveira (coordenadora do projeto), Cláudia Marques e Jairza Fernandes (organizadora) 

 Acesse a dissertação de Claudia Marques on line:



Colaboração de Elânia de Oliveira e Jairza Fernandes Rocha da Silva  

0 comentários:

Postar um comentário


Destaques