Postagem em destaque

O XIII Encontro de Pesquisa em Educação FaE/UFMG ocorrerá entre os dias 16 a 20/10 na FaE/UFMG. Convidamos a todos para participa...

Uso das narrativas orais como metodologia de pesquisa é tema de palestra

Refletir os desafios da pesquisa sobre as relações raciais e ações afirmativas foi o objetivo da palestra “A narrativa negra nas enunciações da história: interlocuções possíveis entre pesquisadores e comunidades negras através da prática da oralidade”, com a doutora em geografia pela UFMG e professora do Centro Pedagógico (CP/UFMG), Maria Ivanice de Andrade Viegas.

O evento ocorreu no último dia 19/05 na sala de reuniões do CP/UFMG e foi realizado pelo projeto de extensão Construindo Espaços de Diálogos e Reflexões sobre Metodologia de Pesquisa sobre Relações Raciais e Ações Afirmativas (CP/UFMG).

Na palestra, Maria Ivanice Viegas contou como as narrativas orais foram utilizadas como metodologia de análise para dar foco às vozes e aos conhecimentos da comunidade quilombola dos Arturos, em Contagem (MG). A professora convidou pesquisadores, professores, estudantes e interessados no debate sobre questões raciais a refletir sobre a necessidade de ampliar o diálogo, aprimorar a metodologia de investigação nessa área e dar visibilidade a produção acadêmica sobre o tema.

O evento foi promovido pelo Programa Ações Afirmativas. A equipe responsável pelo projeto é composta pelos professores e pesquisadores Elânia de Oliveira, Natalino Neves da Silva e Jairza Fernandes Rocha da Silva.
Para conhecer a tese da professora Maria Ivanice de Andrade Viegas sobre a comunidade dos Arturos, O enigma do rosário: os mistérios da (r)existência nas correntezas da urbanização acesse http://www.oenigmadorosario.com.br./O vídeo faz parte da versão digital da tese, disponível no canal youtube.

0 comentários:

Postar um comentário


Destaques