Postagem em destaque

O XIII Encontro de Pesquisa em Educação FaE/UFMG ocorrerá entre os dias 16 a 20/10 na FaE/UFMG. Convidamos a todos para participa...

Audiências públicas que discutirão criação da Pró-reitoria de Assuntos Estudantis começam na terça-feira


https://www.ufmg.br/online/arquivos/034491.shtml








Começa nesta terça-feira, dia 19, no campus Pampulha, a série de audiências públicas que serão realizadas no âmbito da UFMG para subsidiar a proposta de criação da Pró-reitoria de Assuntos Estudantis. O cronograma inicial previa quatro encontros, mas, a pedido dos estudantes, esse número foi ampliado para seis.
“A intenção é aprofundar ao máximo as discussões”, afirma o professor Tarcísio Mauro Vago, assessor especial para Assuntos Estudantis e presidente da comissão encarregada de debater o tema. Na terça-feira, haverá duas audiências na Praça de Serviços, às 14h e às 17h30. O segundo encontro foi programado com o objetivo de facilitar a participação de alunos dos cursos noturnos.
A série terá sequência na quarta-feira, 20 (Faculdade de Medicina), quinta, 21 (Faculdade de Direito), terça-feira, 26 (campus Montes Claros), sempre às 14h. O último encontro – outra novidade em relação à agenda inicial – está marcado para o dia 30, sábado, às 18h, na Moradia Universitária 1, no bairro Ouro Preto.
O formato das audiências está definido. Elas começarão com uma apresentação do professor Tarcísio Vago, que falará sobre o desenho e os eixos da nova pró-reitoria. Em seguida, lideranças do DCE apresentarão o posicionamento da entidade em relação ao assunto. Por último, o debate será aberto ao público para a exposição das propostas.
Um seminário a ser realizado em novembro refinará as discussões levantadas durante as audiências públicas. Ainda neste semestre, a proposta de criação da Pró-reitoria de Assuntos Estudantis será levada à apreciação do Conselho Universitário.
Eixos
A nova instância vai focalizar três eixos: assistência estudantil, ações afirmativas e estímulo ao protagonismo estudantil. O primeiro envolve o atendimento a necessidades materiais, como moradia, alimentação, auxílio-creche e apoio psicológico. A segunda frente diz respeito, segundo Tarcísio Vago, ao desafio de “enfrentar opressões de natureza étnica, homofóbica, machista, sexista e contra pessoas com deficiências”. O terceiro eixo focalizará o estímulo ao protagonismo acadêmico, que poderá se materializar, por exemplo, na elaboração de editais para financiamento de eventos propostos por alunos.
Agenda
Dia 19, às 14h e 17h30 – Praça de Serviços, campus Pampulha
Dia 20, às 14h – auditório da Faculdade de Medicina, campus Saúde
Dia 21, às 14h – auditório da Faculdade de Direito, Centro
Dia 26, às 14h – auditório do Instituto de Ciências Agrárias, campus Montes Claros
Dia 30, às 18h – salão de convivência da Moradia 1, no bairro Ouro Preto

1 comentários:

  1. Mulher, Negros, Trans, trabalhador querem agir contra a exclusão dessa faculdade? t'ai uma boa chance.

    O projeto de pro-reitoria de Assuntos Estudantis vive uma disputa desdo ano passado, onde ao abrir o projetos para a comunidade, o mesmo não constava especificidades de estudantes com realidades distintas e quase nenhum trato humano na relação Instituição e estudante.

    Desde então começou uma disputa por um projeto adequado as diversas realidade da UFMG que como sempre eram invisibilizados. Ocupação da FUMP, Ocupação da Reitoria (ocupação permanente), ocupação por espaços de convívio entre outros. Sempre com o caráter de uma universidade ampla e aberta.

    Os estudantes tinham o projeto de sugerir uma fusão e expansão do conceito de comunidade, pressionamos pela base negra e favelada , mudando conceitos ainda de uma universidade burguesa dando o acesso aos três eixos e a própria universidade (que é cada dia mais excludente).

    A Nova comissão sobre o assunto vai apresentar um modelo que foi estudado esse ano, cabe a nós não deixarmos voltar para um marco zero as tantas lutas dos anos autoritários do Campolina. Cabe a nós garantir que esse projeto seja dos estudantes que caminham para uma universidade aberta para produção de conhecimento dos diversos sujeitos que a compõe. E é de suma importância que sigamos na disputa desse projeto fazendo valer a voz pública e o poder popular.

    Essa é a convocação, do dia que culmina nossa luta. E a batalha "por qualquer meio necessário" destruir o fascismo institucional da UFMG.

    #Forafump
    #nãosomosmercadoria.
    #proreitoriadeassuntosestudantil.

    ResponderExcluir


Destaques