Postagem em destaque

O XIII Encontro de Pesquisa em Educação FaE/UFMG ocorrerá entre os dias 16 a 20/10 na FaE/UFMG. Convidamos a todos para participa...

Comunidade quilombola Manzo Ngunzo kaiango


Comunidade quilombola Manzo Ngunzo Kaiango

 

A comunidade Manzo Ngunzo Kaiangolocaliza-se na rua São Tiago, 216, no alto do bairro Santa Efigênia/Paraíso, em um terreno que abriga aproximadamente onze famílias (50 pessoas). A matriarca, Mãe Efigênia (Efigênia Maria da Conceição), está ligada a todos os moradores por laços de parentesco, seja consanguíneo ou religioso.
A comunidade, que é também uma comunidade tradicional de terreiro, foi certificada em 13/03/2007 pela Fundação Cultural Palmares como remanescente de quilombo (Registrada no Livro de Cadastro Geral nº10, Registro nº 942, fl.07 e publicação no DOU do dia 16/04/2007).
A comunidade ocupa esta localidade desde a década de 70, quando iniciou suas atividades como casa de Umbanda denominada “Terreiro de Pai Benedito”, depois transformado em terreiro de Candomblé de Angola. Hoje ela se organiza através da Associação de Resistência Cultural da Comunidade Quilombola Manzo Ngunzo Kaiango.
Por se tratar de uma entidade sem fins lucrativos, a associação sobrevive graças a doações e auxílio de terceiros que se sensibilizam com o seu funcionamento. Denominado por Mãe Efigênia como “Uma Casa de Portas Abertas”, o Terreiro possui hoje um projeto social e cultural de Capoeira que recebe 64 crianças e jovens do entorno e de bairros vizinhos. Mantido por dois filhos do Terreiro o Projeto Kizomba não recebe nenhuma ajuda governamental ou de empresas privadas.
A Associação é uma referência política e social para toda a comunidade local, extravasando seu papel religioso e dimensionando um espaço de referência para toda a comunidade do entorno. O Projeto Kizomba surge da necessidade de preservar a juventude negra e os idosos do entorno do Quilombo, buscando ocupá-los em atividades sócio-culturais que sirvam para o resgate de sua identidade, de sua autoestima e ao mesmo tempo como forma de educá-los para o exercício pleno da cidadania. Através da dança, da literatura, da arte teatral, da capoeira e do maculelê a associação visa formar jovens e adultos conscientes de seu papel social e que se sintam sujeitos de sua própria história e identidade religiosa e cultural. A Associação foi declarada como de utilidade Pública Municipal, em 24 de fevereiro de 2011, pela lei 10.112/2011.

Mais iinformaações sobre a comunidade quilombola Manzo Ngunzo Kaiango acesse o site: http://quilombolasmg.org.br/

 

0 comentários:

Postar um comentário


Destaques